Ansiedade

oe

Na dica de saúde dessa semana, eu entrevistei as orientadoras educacionais do Colégio Bandeirantes Vera Malato e Lúcia Maiochi.

Daniela: O que é Ansiedade?

OE: A ansiedade é uma emoção comum a todas as pessoas. Sendo considerada também em muitos casos como um fator de proteção. Ter medo nos faz tomar alguns cuidados necessários para a sobrevivência. Quando muito intensa torna-se uma emoção negativa, patológica, interferindo na capacidade da pessoa pensar claramente, resolver problemas e obter satisfação.

Daniela: O medo de falhar, perder um campeonato, pode suscitar a ansiedade e afetar o desempenho atlético / acadêmico?

OE: Sim, interfere diretamente no desempenho. Com base no modelo cognitivo, nossas emoções e comportamentos são determinados pela forma como percebemos / interpretamos as situações. Pensamentos, idéias relacionadas ao medo de falhar ou perder, além de gerar a emoção ansiedade, poderá no caso de pessoas portadoras do transtorno de ansiedade superestimar a ameaça, o perigo e, por outro lado, subestimar os seus recursos internos de enfrentamento. Em paralelo reações biológicas e fisiológicas também são acionadas, como palpitações, excitação, tensão, respiração acelerada, tremor… interferindo negativamente no desempenho do atleta / aluno.

Daniela: A ansiedade afeta mais as pessoas inseguras?

OE: A insegurança aparece a partir da emoção ansiedade, interferindo diretamente no comportamento. Pessoas com transtorno de ansiedade buscam sentir-se mais segura, por meio de estratégias como preocupação excessiva, evitação, fuga, checagem e outros procedimentos. Esses comportamentos, em muitos casos, impedem a desconfirmação da interpretação dada à situação, da atribuição exagerada de ameaça ou perigo, e promovem a manutenção do quadro de ansiedade.

Daniela: Como podemos perceber que um aluno / atleta está muito ansioso? E o que podemos fazer para ajudá-lo?

OE: Diante de situações em que precisam demonstrar desempenho, pessoas portadoras do transtorno de ansiedade apresentam pensamentos que expressam dúvidas como “e se?” e “será?”. E também como já mencionados reações biológicas e fisiológicas e comportamentos de busca de segurança. Diante de qualquer um desses dados torna-se importante conversar com o aluno / atleta e ajudá-lo a perceber que diante da mesma situação podemos encontrar várias alternativas para lidar com ela,  aumentando seus recursos internos de enfrentamento, diminuindo o grau de ansiedade.

 Daniela: Quais são os tratamentos existentes para diminuir o grau de ansiedade?

OE: Dependendo do grau de ansiedade varia desde o tratamento psicoterápico ao medicamentoso e, em muitos casos, sendo necessário a junção dos dois.

Vera e Lúcia são orientadoras educacionais do Col. Bandeirantes e cuidam da comunidade bandeirantina com muito carinho.