Palavra do mestre

“A vontade de se preparar tem que ser maior do que a vontade de vencer. Vencer será a consequência da boa preparação.”  (Bernardinho – Técnico da sel. Brasileira Masculina de voleibol)

 

Conquistas

Começo as minhas postagens aqui no Blog com o que eu considero o marco zero da minha relação “amorosa” com o basquete.

Antes tiveram grandes jogos. Mas o evento que lhes contarei foi superior e é algo que levo comigo até hoje na memória.

Era o ano de 2007 e o time do mirim em que eu jogava tinha nascido sob a sina de desconfiança. Porque vinha logo depois do “Dream Team”. Aquele que ganhou tudo e a todos com um basquete que tenho orgulho de dizer que pude praticar junto. Mas isso é história para outra ocasião…

A história que vim contar é a  superação da sina de desconfiança que acabei de citar.

Jogo da liga de basquete escolar, o time estava invicto na fase de grupos e iria enfrentar o único time também invicto na fase de grupos, o Santo Américo. O jogo definia quem iria se classificar em segundo ou em primeiro.

Para o Band o grande objetivo além de ganhar o jogo era provar que ali tínhamos um “time” a confirmação de que éramos um grupo, unidos. Na minha concepção, a dinâmica do basquete reside demais no conjunto. Mais do que o futebol, muito mais até.

E eis que o jogo foi a prova real de que éramos realmente uma equipe.

Fim de tempo regular: 45 a 45.

Buscamos esse placar, foi suado ao extremo, e na prorrogação fizemos 5 pontos a ZERO e decretamos o final do embate com 50 a 45.

O sentimento na quadra era impagável. Algo nos unia. Não nos falávamos muito mais do que urros e gritos de vitória, mas pela mente de cada um passava a idéia de que após aquela partida seria difícil corromper uma equipe como aquela.

Conquistei(amos) uma vitória e o basquete me conquistou.

Esse relato é uma forma de demonstrar como muitas vezes praticamos e competimos um esporte, mas não necessariamente amamos o esporte, temos prazer em praticá-lo. A melhor forma de que passemos a ter paixão pelo esporte que praticamos é nos identificar em uma família centrada no esporte: seria o time com união, com sentimentos, com cumplicidade.

O surgimento de algo desse tipo, é natural, não tem jeito. Porém tentar ser um atleta que dissemina o respeito e a amizade é um grande passo. Pensar nos outros é a chave.

A história que relatei foi o capítulo final de um período de muita entrega.

Espero aqui ter expressado algo de grande valia. Principalmente para os atletas mais novos.

Um abraço e até a próxima!!!

Um tênis para cada pé.

As empresas de calçados aumentaram seus investimentos em tecnologia associados à biomecânica, isso gerou uma grande oferta de tênis com materiais que permitem maior troca de calor, melhor amortecimento, estabilidade e solado diferenciado para o tipo de pisada e solo a ser praticado o esporte.

No basquetebol, por exemplo, podemos perceber uma grande diferença entre os tênis usados na década de 70 e os modelos atuais. Haja visto que, nos anos 70 os tênis tinham solado em borracha látex com estrutura superior em lona (Converse All Star), evoluíram para tênis em couro ou materiais sintéticos, com solas intermédias em poliuretano ou E.V.A. de compressão moldada, com tecnologias de amortecimento como, Nike Air, Asics Gel ou Reebok DMX, solas específicas para Indoor ou outdoor, com estruturas de apoio como faixas de velcro e reforços em carbono. Pode-se encontrar até modelos específicos para as diferentes posições do basquete.

As grandes marcas competem entre si para inovar e quem ganha somos nós. Pois, podemos comprar um tênis adequado ao nosso tipo de pisada, ao esporte praticado e com melhor preço.

Para você se nortear na hora de comprar um tênis, observe a sola do seu tênis velho e veja onde há um maior desgaste. Dessa forma, você vai perceber com qual parte do pé você costuma imprimir maior força e, assim você terá uma noção sobre seu tipo de pisada.

Mas, apenas a visualização da sola é pouco, o ideal é fazer uma avaliação com um ortopedista ou procurar lojas/clinicas esportivas que possuam o teste de pisada, para descobrir o seu tipo e comprar um modelo que seja preventivo de lesões e dores.

Tipos de pisadas e tênis mais adequados

A pronação existe, em menor ou maior intensidade, em todos os tipos de pisada.

Neutra

Inicia o contato com o solo do lado externo do calcanhar e, então, ocorre uma rotação moderada para dentro, terminando a passada no centro da planta do pé.
O tênis ideal deverá ter bom amortecimento e estabilidade. Prefira os solados planos.

Supinada

A pisada inicia no calcanhar do lado externo e mantém o contato do pé com o solo do lado externo, terminando a pisada na base do dedinho.
Pé supinado é, em geral, muito rígido.

O tênis ideal deverá promover um aumento do amortecimento e da flexibilidade. O solado deve ser curvo ou semi curvo para estimular os movimentos dos pés.

Pronada

A pisada se inicia do lado externo do calcanhar ou algumas vezes um pouco mais para a parte interna, para então ocorrer uma rotação acentuada do pé para dentro, terminando a passada perto do dedão.
A pronação é um problema de hipermobilidade.
O tênis ideal deverá ser menos flexível, garantir maior estabilidade e controle do movimento. Opte pelos solados semi-curvos ou planos.

TiposPisada

Bom exercício a todos !

Daniela é professora de Educação Física do Colégio Bandeirantes.

De volta ao Brasil, Harlem Globetrotters encantam a platéia com acrobacias e bom humor

harlem 2

Time americano mistura malabarismos e brincadeiras com o público em espetáculos dentro e fora das quadras.

Acertar a cesta apenas para marcar pontos não é o objetivo dos Globetrotters. Um arremesso nunca pode ser simples. A meta da partida é mostrar a arte do basquete, com dribles nos companheiros de equipe, e, principalmente, muitas brincadeiras com o público.  E assim os Harlem Globetrotters fazem a alegria das pessoas que lotam as arquibancadas para vê-los em todo o mundo.g1

O elenco sempre muito talentoso fez a fama do grupo, que, de 1962 a 1971, somou 2.495 jogos sem perder e, até o momento, só foi derrotado uma única vez, em 1995. Fora da quadra, os holofotes também se acenderam quando foram feitos dois filmes sobre sua história, em 1951 e 1954, estrelado pelo ator Sidney Poitier, e um desenho animado na TV americana, que foi transmitido de 1970 a 1973 e voltou seis anos depois.

O Harlem Globetrotters se apresentam em São Paulo nos dias 8 e 9 de maio. Os ingressos estão à venda em www.ingressorapido.com.br/Evento.aspx?ID=10221

Patricia Goloni Lolo é professora de Inglês do Col. Bandeirantes e Presidente da ONG V.I.D.A.S.

Foi de 2 ou 3 pontos?

lendoDesafio multidisciplinar: problema para ser resolvido no Blog.

Primeiro o aluno vai encontrar a distância usando as equações do lançamento oblíquo, depois ele deve pesquisar as dimensões da quadra e determinar se o jogador marcou 2 ou 3 pontos.

O Problema

Todo mundo sabe que uma diferença entre a Educação Física e a Física é a falta de educação!

Mas, e você que joga basquete? Já parou para pensar que um arremesso à cesta nada mais é do que um velho e bom lançamento oblíquo e que, portanto, estas duas disciplinas têm muito em comum?

É, isso mesmo, a Cinemática, parte da Mecânica, e a Educação Física!

E então, lá estava nosso craque Godoizino, principal atleta do valoroso time Isaac Newton Atlético Clube num momento decisivo do jogo final de certo campeonato disputadíssimo contra a vigorosa equipe do Clube Desportivo Galileu. Faltavam poucos segundos e a equipe Isaac Newton precisava desesperadamente de um arremesso de 3 pontos para vencer o jogo e o campeonato.

Então, num momento de puro talento e inspiração suprema, Godoizino, nosso menino, lança a bola com velocidade 10m/s, num ângulo de inclinação muito preciso de 37º com a horizontal. A bola deixa as mãos de nosso virtuoso atleta a partir de uma altura de 2m e atinge a cesta que está a uma altura de 3m, já em trajetória descendente.

Assim que Godoizino conclui seu maravilhoso arremesso, o experiente árbitro Nelson Flávio Rabello de Campos valida os pontos, encerra a partida e a comemoração começa!!!

Queremos saber: quem venceu o campeonato Newton ou Galileu? Deixe sua resposta nos comentários.

Dica: descubra se Godoizino conseguiu realizar o arremesso de 3 pontos ou se, na ansiedade, ele apenas marcou 2!

“Estranho no garrafão” é uma coluna na qual pessoas de áreas diversas são convidadas a escrever sobre o basquete.
Marta e Nelson Rabello e Flávio Campos são professores de Física do Col. Bandeirantes e demoram 25 minutos para arremessar uma bola, mas o arremesso é certeiro, de chuá!

Bolão dos Playoffs da NBA (1.a fase)

Bolão dos playoffs da NBA, realizado entre alguns dos colaboradores do blog. Parece não haver muitas surpresas nesta fase inicial, com poucas discordâncias entre os palpites. Nas semifinais de conferência, creio que os jogos serão mais imprevisíveis.

Conferência Oeste

LAL X OKC DAL X SAS PHX X POR DEN X UTA
De Simone Lakers Spurs Suns Nuggets
Fábio Lakers Mavs Suns Nuggets
Fernando Lakers Mavs Suns Nuggets
Godoi Lakers Mavs Blazers Nuggets
Juninho Lakers Mavs Suns Nuggets
Meinberg Lakers Mavs Blazers Nuggets
Nicolau Lakers Mavs Blazers Nuggets

Conferência Leste

CLECHI ORL X CHA ATL X MIL BOS X MIA
De Simone Bulls Magic Hawks Celtics
Fábio Cavs Magic Hawks Celtics
Fernando Cavs Magic Bucks Celtics
Godoi Cavs Magic Bucks Celtics
Juninho Cavs Magic Hawks Celtics
Meinberg Cavs Magic Hawks Celtics
Nicolau Cavs Magic Hawks Celtics

Vencedores da 1.a fase: De Simone, Fábio e Juninho (com 6 acertos cada)

Quando o jogo começa

O jogo de basquete começa muito antes do jogo.

No cenário profissional (leia-se NBA), o preparo para um jogo começa semanas antes do jogo, com equipes técnicas estudando os times adversários; jogadas, melhores jogadores, características, preferências de marcação, tendências, ataque organizado ou em transição, entre tantos outros. A partir daí, os dados coletados são mostrados aos jogadores em vídeo nos vestiários antes dos jogos, fazendo com que o atleta seja não só um jogador, mas também um conhecedor do adversário.

Vestiário do Phoenix Suns - NBA

No cenário escolar, é impossível que se faça como na liga americana, por falta de infraestrutura. Não há como filmar jogos e contratar pessoas experientes e conhecedoras do esporte para ficarem à disposição dos times de adolescentes dos colégios. Em outra matéria pretendo abordar melhor as causas disso. Assim, o preparo para o jogo deve vir de cada atleta.

O jogo começa quando a aula termina
Após o fim da aula, o jogo se inicia. Poucas conversas e ZERO garotas. A música no ouvido, de qualquer tipo, sempre cai bem para a concentração. Tênis firmemente amarrado. Cara de poucos amigos. Seriedade. Entrar na vibração do jogo, para que, ao adentrar a quadra, tenha a postura correta. É horrível começar a ‘entrar’ no jogo no segundo ou terceiro quarto; o jogo já pode estar perdido.

Nash - NBA

Espero que consiga ter mostrado como o jogo de basquete que assistimos é uma ponta no iceberg de um longo processo de adequação e preparação.

Abraços a todos

*Para ver os comentários das fotos, deixar o mouse parado sobre elas*

Hidratação

hidratação 3

Olá pessoal, eu sou a Daniela, postarei periodicamente dicas e promoverei reflexões sobre os temas Saúde e Atividade Física. Seus comentários e sugestões de novos assuntos serão muito bem vindos!

 

Hidratação

Atualmente, existem muitas pesquisas sobre a hidratação de atletas. Todas convergem para a necessidade de hidratação antes, durante e depois do esforço físico, na tentativa de minimizar a desidratação e queda do rendimento. Entretanto, algumas dúvidas ainda são freqüentes como: Quando devo começar a me hidratar? O que devo beber?

De início, eu sempre respondo que, todos devem começar o exercício bem hidratados, ou seja, tem que ter o hábito de beber água!

Nos dias de treino ou competição, intensifique sua hidratação. Para que isso ocorra, use a seguinte estratégia:

  • 1 hora antes do exercício – beba em torno de 250 a 500 ml de água, de 20 em 20 minutos.

Objetivo é garantir a plena saturação de líquidos no corpo. Tudo aquilo que for excesso, será eliminado pela urina e você começará a atividade bem hidratado, desse modo, preservará as funções cardiovascular e termorregulatória, assim como, manterá o seu desempenho atlético.

Durante o treino, aproveite as paradas que o técnico faz e beba água a vontade, mas se ele não costuma fazer pausa, não se preocupe, beba cerca de 250 a 500 ml de água logo ao término do treino. Nos dias mais quentes, continue se hidratando com 250 ml de água de 30 em 30 minutos nas duas horas seguintes.

Se o treino durar mais que 1 hora, a temperatura ambiente estiver alta e você perceber que sua transpiração está intensa, continue bebendo água. Pois, durante o treino a intensidade do esforço realizado varia bastante. Existem momentos de alta intensidade, como na realização de fundamentos em deslocamento e situações em que a intensidade é mais baixa, como nos exercícios de manejo de bola e alongamento. Então, a água é um excelente hidratante para repor o líquido perdido pelo suor e conduzir o calor gerado para a pele, onde será dissipado.

Deixe o uso do isotônico para aqueles atletas que mantém um esforço alto por mais de 1 hora, como os ciclistas e maratonistas.

Não caia na tentação de usar bebidas energéticas, para se hidratar, por achar que elas aumentam seu pique, devido à alta concentração de cafeína. Elas causam desconforto gastrointestinal e dificultam a absorção de água. O que é péssimo para um esportista.

Saiba que, se você mantém uma alimentação saudável e não passa grandes períodos em jejum, a água é adequada para ser ingerida durante o treino ou mesmo do jogo. Se você tomar isotônico sem necessidade, irá enriquecer sua urina e jogar dinheiro fora.

Enfim, se você quer se dar bem no esporte, se alimente bem, descanse adequadamente, para se recuperar do estresse físico, e beba água.

Dica: converse com seu técnico sobre a possibilidade de você deixar uma garrafinha de água num local da quadra.  

 

Daniela é professora de Educação Física e especialista em fisiologia do exercício.

Torneio início

torneio-inicio-2010

Equipe Pré Mirim basquetebol (clique na imagem para ampliá-la)

O Colégio Bandeirantes teve ótima participação no torneio início da Liga  de Basquete Escolar: das três equipes participantes, duas foram campeãs e uma ficou na segunda colocação. Parabéns aos nossos atletas.

Pré mirim: campeão

Mirim: vice campeão

Infantil: campeão